Nova exposição do Museu de Congonhas eterniza a devoção dos fiéis no Jubileu do Bom Jesus

 

Congonhas respira fé todos os anos no período de 7 a 14 de setembro com a realização do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos. Para marcar o início das festividades, o Museu de Congonhas preparou uma mostra emocionante sob o olhar cuidadoso da fotógrafa Eliane Gouvea: a exposição “Paixão e Fé” que será inaugurada na próxima quarta-feira, 30, às 19h.

 

“Este registro traz a simplicidade da fé e o poder que ela exerce sobre todos nós. O amor infinito e confiável ao Senhor Bom Jesus, o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem. Nos registros de 2016 passei por pessoas que transmitiram muita alegria e agradecimento. Uma entrega muita intensa, uma simplicidade poderosa. Fotografar é ver e sentir! A passagem rápida dos romeiros de tantos lugares deixando aqui essa espiritualidade tão encantadora transformando Congonhas nesse lugar de júbilo. 260 anos se passaram e aqui a lâmpada da fé continua acesa”, explicou Eliane Gouvea.

 

Ano após ano uma multidão de pessoas sobe as ladeiras de acesso ao santuário do Senhor do Bom Jesus de Matosinhos para rezar e agradecer as graças alcançadas durante o Jubileu. A festa atrai fieis e devotos de todo o Brasil. Além das preces, os romeiros visitam o santuário e as obras de arte do grande mestre do Barroco, o Aleijadinho.

 

Outras duas exposições de fotógrafos congonhenses foram inauguradas este ano no Museu. “Arte e Fé”, de Mauro Barros, sobre a Semana Santa, e “Santuário”, de Welerson Athaydes, abordando o contexto histórico da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos

 

Fonte: (Comunicação Museu de Congonhas)