Museu de Congonhas promove live para debater sobre a nova realidade das instituições culturais no Brasil pós-pandemia

O Museu de Congonhas, se adaptando a nova realidade trazida pela pandemia do novo coronavírus, reforçou aprodução de conhecimento em suas plataformas online. Desde março, a instituição leva ao ar mediações, oficinas, atividades educativas diversas e uma série de outras ações virtuais. Na próxima semana, na terça-feira, 02, a partir das 16h, será realizada, no Instagram@MuseuDeCongonhas, uma transmissão ao vivo especial com a pesquisadora e gestora cultural Beth Ponte, que será conduzida pelo diretor do Museu de Congonhas, Sérgio Rodrigo Reis. O tema desta live será a nova realidade das instituições culturais no Brasil pós-pandemia.

“Importante debatermos o futuro das instituições museais num momento em que há muitas perguntas e poucas respostas efetivas. O Museu de Congonhas se coloca diante do debate com resiliência e criatividade. São características que nos farão superar esta crise”, afirma Sérgio Reis. Ele conclui dizendo que está live integra a pesquisa Museus e a Comunicação do Patrimônio Cultural, realizada no Centro Cultural Lúcio Costa, do IPHAN, no Rio de Janeiro.

Beth Ponte é gestora cultural, pesquisadora e consultora. É autora do projeto Qualidade para a Cultura (www.qualityforculture.org/pt), membro do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Organizações Sociais da Cultura (ABRAOSC) e pesquisadora do Observatório de Economia Criativa da Bahia (OBEC-BA). De 2010 a 2018, foi Diretora Institucional do Programa NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) e, até 2019, GermanChancellorFellow da Fundação Alexander von Humboldt, na Alemanha.

Com o projeto #MCoEmCasa, o Museu de Congonhas já alcançou centenas demilhares de pessoas nesta quarentena. A ampla agenda cultural, em 2020, conta com patrocínio da Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Toda a programação pode ser acessada nas páginas do Facebook (@museudecongonhas), Instagram (@museusdecongonhas) e site da instituição (www.museudecongonhas.com.br).