Museu de Congonhas e IPHAN iniciam projeto de combate a incêndio

O Museu de Congonhas, a Fundação Municipal de Cultura e Lazer e Turismo de Congonhas (FUMCULT) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) realizam o “Encontro de Prevenção e Combate a Incêndios em Espaços Culturais”, com palestra do engenheiro do IPHAN, Leonardo Barreto. O objetivo é trazer o tema para dentro das comunidades para que todos estejam envolvidos no cuidado com o patrimônio e saibam como se portar diante de uma situação de incêndio. A iniciativa surgiu a partir do ocorrido no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, e visa formar brigadas contra incêndios nas cidades com bens reconhecidos como patrimônio da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O público-alvo a participar é zeladores de igrejas e capelas, funcionários de museus e arquivos e moradores. Este encontro, que ocorrerá na próxima segunda-feira, 26 de novembro, de 8h30 ao meio dia, no Museu de Congonhas, é a primeira parte do projeto, que ainda prevê um treinamento prático com o Corpo de Bombeiros.

O IPHAN levará o projeto para outras cidades históricas de Minas, incluindo Ouro Preto.

Para o presidente da  Fumcult, Sergio Rodrigo Reis, um dos idealizadores do projeto junto ao IPHAN, é relevante e urgente pensar em prevenção quando se está diante de um acervo cultural e histórico tão significativo. “Congonhas inaugura uma importante iniciativa no país de proteção do Patrimônio Mundial com este treinamento de combate a incêndios e gestão de situações de crise. A intenção é a de treinar e capacitar comunidades no entorno de patrimônios de relevância histórica e cultural no município para tomar iniciativas rápidas para resolver possíveis impactos ao patrimônio e, com isso, minimizar danos ao patrimônio”, acredita. Congonhas abriga o Santuário Basílica Senhor Bom Jesus de Matosinhos, que guarda os 12 profetas esculpidos por Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1738-1814) - monumento reconhecido pela Unesco em 1985 e recentemente restaurado com recursos do PAC Cidades Históricas; a Matriz Nossa Senhora da Conceição, as igrejas Nossa Senhora do Rosário e São José Operário; a Igreja de Nossa Senhora da Soledade, no distrito de Lobo Leite; e Nossa Senhora D'ajuda, no distrito Alto Maranhão.