21 de dezembro de 2016

Conselho que definirá diretrizes do Museu de Congonhas toma posse

Tomaram posse nesse sábado, 17 de dezembro, aniversário da cidade, os primeiros membros do Conselho Curador do Museu de Congonhas para o período de três anos de gestão. O Conselho, instituído pela Lei 3.554 de 6 de outubro de 2015, zelará  pelo Museu, seu patrimônio e o cumprimento de seus objetivos. Nele há representantes da Unesco, Iphan, IBRAM, Igreja, Prefeitura e, após pedido da Prefeitura à Câmara Municipal, houve acréscimo de uma cadeira também para o Ministério Público. São oito membros efetivos, sendo que para cada um destes há dois suplentes. Durante a solenidade, o prefeito Zelinho disse que o Museu contribuirá na busca de recursos para manutenção do Museu.

Segundo o diretor-presidente da Fumcult e diretor do Museu de Congonhas, Sérgio Rodrigo Reis, a posse do Conselho Curador é mais uma etapa vencida. “A missão dos conselheiros será checar as missões da instituição e ditar diretrizes para a gestão do Museu. Testamos durante o primeiro ano de funcionamento muita coisa, desenvolvemos ações com parceiros. O primeiro objetivo era aproximar o Museu da população. E neste primeiro ano de portas abertas, comemorado no dia 15 de dezembro, chegamos a marca de 80 mil visitantes, ou seja, mais de uma população de Congonhas esteve aqui. Conseguimos nos aproximar ainda mais da Reitoria da Basílica e tivemos uma experiência emocionante com o Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matozinhos, (de 7 a 14 de setembro), quando 17 mil fieis vieram ver as exposições e o Oratório, de Feliciano Mendes, que deu origem ao Santuário. Agora demos o primeiro passo para viabilizar o Centro de Referência da Pedra, com a realização do 1° Simpósio Brasileiro de Caracterização e Conservação da Pedra (entre 14 e 16 de dezembro)”, contextualizou.


 

Uma programação será elaborada pela Fumcult e a Reitoria da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos para comemorar, durante o ano de 2017, os 260 da origem de devoção ao Bom Jesus. A primeira atração será o show "Paixão e Fé", de Titane e Túlio Mourão, no dia 18 de janeiro, na Romaria.

O padre Benedito Pinto da Rocha diz que a Igreja vê o Museu com bons olhos. “Ele é muito gratificante para nós. A princípio, seria um prejuízo por ocupar parte do terreno do Santuário. Mas as instituições fazerem um espaço totalmente dedicado ao Bom Jesus é maravilhoso. Tenho certeza de que Antônio Francisco Lisboa intercedeu a Deus pela criação deste Museu”, comentou.

A superintendente do Iphan em Minas Gerais, Célia Corsino, é enfática: “participar do Conselho desta instituição museológica representa acreditar que podemos fazer a diferença. Na cidade de pequeno ou médio porte, o Museu faz a diferença e estou à disposição para dar sequência a esse trabalho”.

Escultor e diretor de Patrimônio Histórico de Congonhas, Luciomar Sebastião de Jesus lembra que o Centro de Estudo da Pedra era a ideia original que levou a criação do Museu. “A partir do que vi no Simpósio: uma rede sendo institucionalizada, o Museu poderá partir para cumprir a sua missão, que é a de preservar a fé e o fazer artístico. Não dá para desassociar o patrimônio material do imaterial. Acredito que o Conselho vá discutir os dois aspectos: turismo e religião”, comentou.

Já a coordenadora de Cultura da Unesco no Brasil, Patrícia Reis, afirma que “o Museu de Congonhas precisava estar acontecendo para que um Simpósio deste fosse realizado e desencadear a discussão necessária para a criação do Centro de Estudo da Pedra. Este terá o seu momento”.

 

Conselheiros:

- Representantes da Prefeitura – Titular: Sérgio Rodrigo Reis. Suplentes: Margarida Maria Magdalena Ferreira e Luciomar Sebastião de Jesus.

- Representantes da Unesco: Titular: Patrícia Reis. Suplentes: Isabel de Paula e Mônica Salmito Noleto.

- Representantes do Iphan: Titular: Célia Maria Corsino. Suplentes: Bárbara Monteiro Cordeiro e Silva e Simone Monteiro Silvestre Fernandes.

- Representantes do IBRAM: Titular: José Rui Guimarães Mourão. Suplentes: Janine Menezes Y Ojeda e Maria Margareth Monteiro.

- Representantes da reitoria da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matozinhos: Titular: Cônego Geraldo Francisco Leocádio. Suplentes: padre Benedito Pinto da Rocha e Lúcio de Souza Coímbra.

- Representantes especialistas da área indicadas pelo prefeito: Titular: Letícia Julião. Suplentes: Jurema Machado e Antônio Odaque da Silva.

Justificaram ausência à cerimônia de possa do Conselho Curador o secretário de Estado de Cultura, Ângelo Osvaldo, Letícia Julião, Jurema Machado e Cônego Geraldo Leocádio. Estes serão empossados na primeira reunião, ainda sem data marcada, juntamente com o representante do Ministério Público.

Fonte (SECOM)