10 de novembro de 2016
 
Regina Milagres e Silvia Maneira são as atrações  de novembro do Projeto Caixa Acústica

Caetano Veloso, Fatima Guedes, Mart´nália e canções autorais estão no programa

 

O Projeto Caixa Acústica 2016 chega a sua penúltima apresentação deste ano no Museu de Congonhas (MG), mostrando encontro musical das cantoras Regina Milagres e Silvia Maneira, acompanhadas pelos músicos Evaldo Milagres (bateria) e Sanchez Almeida (contrabaixo). O espetáculo acontece no dia 16 de novembro, quarta-feira, às 20h, no teatro de arena do centro cultural (caso esteja chovendo, no dia, o show é transferido para o auditório do museu). Os ingressos custam R$ 2,00 e podem ser adquiridos antecipadamente na bilheteria do museu.

Caixa Acústica tem patrocínio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais por meio da Gerdau, o apoio da FumCult e da Prefeitura Municipal de Congonhas e a produção executiva da TW Cultural, de Belo Horizonte.

 

Regina Milagres e Sílvia Maneira se conheceram na Babaya Escola de Canto, em Belo Horizonte e, desde então, transformaram a amizade em parceria musical.  Neste show, Regina Milagres canta algumas canções do seu primeiro CD solo, lançado em maio de 2013. No repertório estão "Boa Sorte" (Luiz Guedes, Thomas Roth e Márcio Borges), "Mora na Filosofia" (Monsueto e Arnaldo Passos) e “Daniel” (Rê Mineira). Já Sílvia Maneira apresenta canções autorais, além realizar duetos com Regina em músicas de Fátima Guedes, Mart'nália e Caetano Veloso.

 

A cantora e preparadora vocal Regina Milagres iniciou seus estudos musicais no Coral Madrigal Renascentista de Belo Horizonte. De 1993 a 1997, estudou canto popular na Babaya Escola de Canto, onde também desempenhou o cargo de Coordenadora Pedagógica até o ano de 2010. Conciliando as carreiras de preparadora vocal e cantora, Regina Milagres participou de diversos cursos no Rio de Janeiro, São Paulo e, mais recentemente, na Espanha. É pós-graduada em Técnica Vocal pelo Centro de Estudo de Voz, sob coordenação da renomada fonoaudióloga Mara Belhau.

Como intérprete, integrou projetos musicais importantes, concebidos principalmente na capital mineira, como “Nada será como antes”, em homenagem aos 25 anos do Clube da Esquina (ao lado de Graziela Cruz, Thelmo Lins e Wagner Cosse), e “Confissões - Um poema musical”, do compositor, instrumentista e produtor Geraldo Vianna. Regina também registrou sua voz em trabalhos de outros parceiros, como em “E lá vou eu nessa estrada - A música de Paulinho Pedra Azul”. Como cantora e atriz, destaque para a participação em “Os Elefantes se alimentam de flores”, minissérie dirigida por Breno Milagres. Integrou o grupo “Mosaico”, com as cantoras Camila Jorge, Mariana Brant e Luciana Vieira. Atuou em “Uma festa no céu”, com grande elenco, foi dirigida por Kalluh Araújo (1998), dentre outros trabalhos. Realizou ainda a preparação vocal de vários cantores brasileiros. Em maio de 2013, lançou seu primeiro CD solo.

 

Sílvia Maneira é cantora, compositora, arranjadora, professora e música e escritora. Graduada em Licenciatura em Música pela UFMG, participou de vários projetos musicais, dentre eles o grupo vocal Carona Brasil. Começou seus estudos de violão, em 1974, em Araxá (MG), onde nasceu. Mais tarde estudou piano, solfejo e flauta transversal. Durante vários anos, frequentou a Escola de Canto Babaya, em Belo Horizonte. Na capital mineira e no interior de Minas, realizou vários cursos e oficinas.

Lançou-se profissionalmente na música em 1988, com o trio formado com Mazinho e Zapulla. Com o Carona Brasil, grupo vocal feminino, gravou os CDs “Corra e Olhe o Céu”, de 2005, e “Bossa, Coisa Nossa”, com a participação de Roberto Menescal (2010). Ainda com o Carona Brasil, participou do lançamento do CD "De lá prá cá, Daqui pr'ali" (2014). Em 2009, lança o livro infantil “Uma Tarde do Barulho”, com ilustrações de Claudio Martins. Em 2011, idealizou o projeto “Silvia Maneira apresenta..., convida... e aplaude!”, em cinco edições.

Projeto Caixa Acústica Congonhas 2016 finaliza suas atividades no dia 14 de dezembro, com o show de Trio Amadeus e Kadu Vianna.

 


(Fonte: TW Cultural)