Zé Arigó será homenageado pelo seu aniversário

Nascia em Congonhas no dia 18 de outubro, um homem com uma história mediúnica forte e intrigante, que deixou sua marca por onde passou. Esse era José Pedro de Freitas, o Zé Arigó, que ficou conhecido nacional e internacionalmente pelos seus dons mediúnicos e suas cirurgias espirituais que curaram muitas pessoas. Para homenageá-lo, o Museu da Imagem e Memória (Ladeira) realiza no dia em que se comemorava o aniversário do médium, uma noite honrosa, às 19h. Se apresentarão no local, o coral “Olhos de Luz”, de Sabará, o Projeto Arte na Escola e intervenção musical com Carmem Célia e Átila Caiafa. 

Leida Lúcia escreveu dois livros sobre o médium “Cirurgias Espirituais de Zé Arigó” e “Arigó, o 13º Profeta”. Ela disse que se sente honrada em fazer parte de sua história. “Tive a honra de acompanhar todo o trabalho desse médium que foi o melhor do Brasil e do mundo. Sinto-me privilegiada de ter participado de todo esse legado de aprendizado”, enfatizou.

Para os espiritualistas, essa foi a primeira manifestação do médico alemão Dr Fritz, no qual Arigó incorporava seu espírito para realizar as cirurgias. Para Congonhas foi um momento de grande projeção, já que políticos importantes, artistas famosos e pacientes de todo o mundo vieram para serem atendidos pelo médium. Para as pessoas mais simples, Arigó era um pai carinhoso, sempre preocupado em diminuir o sofrimento do próximo.

A estimativa é de que mais de 4 milhões de brasileiros e estrangeiros tenham procurado o médium, que chegava a atender de 200 pessoas a 1 mil por dia, sem cobrar um centavo.

Exposição no Museu da Imagem e Memória

O médium possui uma exposição permanente no Museu da Imagem e Memória (Ladeira). Entre os itens que compõem o acervo estão cartas psicografadas, cartas de médicos que haviam desenganado seus pacientes, mas indicavam a intervenção de Arigó como última solução, utensílios usados pelo médium nas cirurgias e fotos.

Fonte (Comunicação Museu de Congonhas)