Oficina de Scratch trabalhou com imaginação, lógica e criação

Criação de games, aplicativos e a sua lógica, foram as principais abordagens da “Oficina de Scratch”, realizada entre os dias 3 e 7 de julho, na Escola Municipal José Cardoso Osório. A oficina foi ministrada por Gabriela Ornellas e Bernando Brasil (Coletivo Trama – RJ). Os educadores participaram ativamente das atividades durante os cinco dias, a fim de alcançar resultados melhores entre os estudantes. Esta foi a última oficina programada para 2017 pelo Programa de Formação em Mídia-Educação do Museu de Congonhas.

Segundo Gabriela "foi tudo muito produtivo, e as pessoas que fizeram as aulas aproveitaram e absorveram o máximo de conhecimento que passamos a elas, espero que utilizem bem com os alunos em sala de aula", enfatizou.

O Scratch é um contexto de programação visual e multimídia baseado em Squeak e está destinado à criação e promoção de sequências animadas para a aprendizagem de programação de forma simples e eficiente. Os destinatários do Screatch são crianças do ensino fundamental, permitindo a construção de animações, trabalhando também, numa abordagem interdisciplinar, ou seja, utilizar conceitos das disciplinas escolares para montar projetos específicos e permitir que as crianças aprendam de forma criativa.

 

O Programa de Mídia-Educação teve início em abril de 2017. A iniciativa, oferecida pelo Museu de Congonhas, em parceria com a Prefeitura Municipal e Secretaria Municipal de Educação e com os patrocínios da Gerdau e da Cemig, esta última por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo de Minas Gerais, foi desenvolvida a fim de contribuir para que os educadores Congonhas e dos distritos de Pires e Lobo Leite, além de Mota e Miguel Burnier, distrito de Ouro Preto, se apropriem de conhecimentos e metodologias do uso das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) em sua prática profissional, de modo a transformar e atualizar a experiência da sala de aula vivida por professores e alunos, tornando-a mais interessante e eficaz.

 

Nizelle Dutra participou das três oficinas e avaliou como excelente todo o conteúdo ministrado. “As oficinas e tudo que aprendemos serão essenciais para a prática na sala de aula, uma vez que com inovação e novos conteúdos, os alunos ficam muito mais interessados.”

Fonte (Comunicação Museu de Congonhas)