Acessibilidade Universal é tema do Seminário no Museu de Congonhas

 

Os espaços públicos, centros culturais, museus e toda uma cidade podem ser acessíveis a todos? Esta é a reflexão que norteará as discussões durante o “Seminário de Acessibilidade Universal do Museu de Congonhas”, evento que, entre os dias 27 e 30 de junho, promoverá uma série de painéis sobre o assunto, com a presença de alguns dos principais especialistas da área.

Realizado pela Prefeitura Municipal de Congonhas, com correalização do Instituto Federal de Minas Gerais - IFMG Campus Congonhas e apoio da Câmara Municipal e Ministério Público, o evento reunirá, além dos especialistas em várias temáticas, a sociedade civil organizada. Estão confirmadas as presenças de Organizações Não-Governamentais (Ongs), Associações, Órgãos de Classe, e representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário locais, numa série de debates que pretendem encontrar soluções a curto, médio e longo prazo, para tornar os espaços geridos pela Fundação Municipal de Cultura, Lazer e Turismo (FUMCULT), acessíveis às pessoas com deficiência ou àqueles que necessitem de auxílios especiais.

A intenção é a de que, após as discussões, possam ser levantadas propostas a serem implementadas no Circuito dos Museus e Centros Culturais de Congonhas, um percurso com topografia acidentada e características próprias, formado por Igrejas, monumentos históricos e uma série de equipamentos culturais. De acordo com o diretor do Museu de Congonhas, Sérgio Rodrigo Reis, “o Seminário é a primeira ação de muitas que o Museu de Congonhas realizará sobre o tema. Na sequência, a intenção é envolver os parceiros para a adaptação de soluções práticas para tornar o Circuito dos Museus acessível a todos, com destaque para pessoas com deficiência”, explicou. O projeto integra uma grande ação educativa e inclusiva liderada pelo Museu de Congonhas.

A programação do Seminário será intensa nos quatro dias com debates e palestras, que serão intercaladas por apresentações culturais. Os painéis serão direcionados pelos eixos que passam por questões como “Legislação Inclusiva”, “Práticas Inclusivas” e “Políticas Públicas Inclusivas”.

Serviço:

Seminário de Acessibilidade Universal do Museu de Congonhas

De 27 a 30 de junho de 2017, no Museu de Congonhas (Alameda Cidade de Matosinhos de Portugal, 77, Basílica). O evento, gratuito, acontece nos períodos da manhã e tarde. Vagas limitadas. Inscrições: (31) 3731-3956 e 3979.

PROGRAMAÇÃO

27, 28, 29 e 30 de junho de 2017, Congonhas, MG.

Dia 27/06

9h – Abertura

 

1º Painel

Práticas inclusivas no Espaço Urbano e na Arquitetura

10h às 10:40h - Ângela Arruda Fernandes - Acessibilidade Universal no Centro Histórico de Congonhas

10:40h – Discussões

Mediador: Sérgio Rodrigo Reis

 

2º Painel

Legislação Inclusiva

14h às 14:40h - Patrícia Siqueira Silveira - O direito da  pessoa com deficiência no mercado de trabalho

14:40h às 15:20h - Felipe José Vidal Evangelista  e  Filipe Cordeiro Kinsky  Dupla discriminação: A discriminação que assola os projetos de combate à discriminação

15:20h – Márcia D’el Carmo Rodrigues e Marluce Geralda da Costa – Inclusão e os desafios na Rede Municipal de Ensino de Congonhas – Legislação e Serviço de Apoio à Inclusão na rede

15:20h – Discussões

Mediador: Vinícius Alcântara Galvão

 

 

 

Dia 28/06

3º Painel

Políticas Públicas Inclusivas

9h às 9:40h - Vereador Arnaldo Godoy – A importância da cultura para pessoas com deficiências, acessibilidade arquitetônica e as tecnologias assistivas 

9:40h às 10:20h -  Maria Cristina Silva Siqueira e Ananias Moreira (Instituto São Rafael) – Centro de Apoio Pedagógico às Pessoas com Deficiência Visual do Instituto São Rafael – BH/MG

10:20h - Discussões

Mediador: Ronaldo Rodrigues Assunção

 

4º Painel

Práticas Inclusivas

14h às 14:40h - Cynthia Maria Soares Drummond e Uiara Rodrigues de Oliveira (Organização Verdemar) – A reintegração social de portador de sofrimento mental através de sua inserção no mercado de trabalho

14:40h às 15:20h - Laércio Santanna – Plataformas digitais para deficientes visuais -  Videoconferência

15:20h - Discussões

Mediadora: Margarida Maria Magdalena Ferreira

20h - Série de Concertos Coloniais: Milítza Franco (flauta) e Maurício Veloso (piano)

 

Dia 29/06

5º Painel

Práticas Inclusivas na Educação

9h - Apresentação do Projeto “Canto Coral” do IFMG Campus Congonhas com os coralistas do Centro de Referência do Idoso

9:10h às 9:50h - Milene Cristina Barbosa Silva (IFMG Campus Congonhas), Cássio de Souza (PUC-MG) e Luana Maria Marques Dias (IFMG Campus Ouro Preto - Reflexões para um futuro acessível    

9:50h às 10:30h – Rosângela Patrono (NAPNE - Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas - IFMG Campus Congonhas)

O desafio da inclusão: a experiência do IFMG Campus Congonhas

10:30h – Márcia D’el Carmo Rodrigues e Marluce Geralda da Costa  Vivências pedagógicas na Rede Municipal de Ensino de Congonhas – Serviços de apoio: Núcleo de Apoio Educacional, Programa Escola Acessível, Recursos de Acessibilidade, Salas de Recursos, Professoras de Apoio, Cuidadoras, Formação e Visitas Técnicas Itinerantes

10:30h - Discussões

Mediadora: Maria Aparecida Resende

 

Dia 30/06

6º Painel

Experiências Inclusivas

9h às 9:40h - Tânia Aretuza Ambrizi Gebara e Fabíola de Freitas Barros (CPUFMG) – Educação inclusiva e organização do trabalho pedagógico: potencialidades e desafios a partir da experiência do Centro Pedagógico da Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG

9:40h às 10:20h - Wilmara Marliére – A inclusão através da arte – Projeto Céu e Terra

10:20h - Discussões

Mediador: Antônio Odaque da Silva

 

7º Painel

Práticas inclusivas na arquitetura

10:30 às 11:10h - Jurema Machado  - Acessibilidade em museus e centros culturais

11:10h Discussões

Mediador: Sérgio Rodrigo Reis 

 

Grupo de Estudos

14h às 16h - Carta de Acessibilidade de espaços culturais geridos pela FUMCULT e lançamento do Selo de Acessibilidade

20h - Geraldo Magela (Ceguinho) - Um cego de olho no futuro: humor com motivação e superação

Fonte (Comunicação Museu de Congonhas)