40389318_1903690539932838_8836613161017671680_n.jpg

Em comemoração ao Mestre

Museu de Congonhas prepara programação especial no projeto virtual #MCoEmCasa para celebrar o aniversário de Aleijadinho

Já é tradição o Museu de Congonhas homenagear, em agosto, o grande mestre do Barroco brasileiro, Antônio Francisco Lisboa: o Aleijadinho. O artista deixou um legado único em Congonhas que inspirou, inclusive, a criação deste que foi o primeiro Museu de Sítio Histórico do País. Acredita-se que Aleijadinho possa ter nascido em 29 de agosto de 1730, por isso este mês sempre é celebrado pela instituição.

Desde o início da pandemia, o Museu de Congonhas têm desenvolvido uma programação histórica e cultural sob a chancela da hastag #MCoEmCasa, para este mês, além dos quadros fixos #LeiaNoMuseu e #RepostDoMuseu, outros quadros ganharam espaço como #ConhecendoOMestre, #AleijadinhoExportado e #OArtistaQueInspiraArte.

As segundas-feiras, serão dedicadas a trazer ao conhecimento os lugares no mundo pelos quais as obras de Aleijadinho já foram representadas, como o profeta Daniel nos USA, Habacuc na Bélgica e Joel no Uruguay compondo o quadro #AleijadinhoExportado. As terças, os internautas conheceram mais a fundo a vida e obra de Aleijadinho, sua biografia, as doenças que o acometeram, sua arte e a desvalorização do Barroco, a importância dos modernistas na reconquista de Congonhas e o legado deixado pelo artista na cidade.

No Quadro #LeiaNoMuseu serão indicadas importantes obras que tratam dos vários aspectos do trabalho de Antônio Francisco Lisboa. Às quintas grandes artistas que se inspiraram na obra de Aleijadinho para compor o trabalho ganharam espaço. Ilustradores, cineastas, fotógrafos e escritores serão representados na sessão #OArtistaQueInspiraArte. Em um desdobramento deste quadro, os artistas de Congonhas que também se inspiram no Mestre serão representados às sextas-feiras. O tem ainda será levando na Roda de Conversa do mês que acontece no sábado, dia 7, às 15h, e será transmitida ao vivo no facebook do Museu de Congonhas.

Para além desta programação, cada um dos 12 Profetas talhados por Aleijadinho serão detalhados, quando a vida, características esculturais do Mestre e importância bíblica, aos sábados e domingos deste mês. Todo a programação  pode ser acessada nas páginas do Facebook (@museudecongonhas), Instagram (@museusdecongonhas) e site da instituição (www.museudecongonhas.com.br). Para todas essas ações, o Museu de Congonhas conta com o patrocínio da Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

O Mestre em Congonhas

Antônio Francisco Lisboa viveu em Congonhas no período de 1796 a 1805. Seu acervo na cidade é composto pelas 64 imagens esculpidas em cedro expostas nas capelas dos Passos da Paixão, seis relicários no interior da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos e os 12 profetas talhados em pedra sabão, no adro da basílica. Esse legado proporcionou a Congonhas o título de Patrimônio Mundial, reconhecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) em 1985. O artista também criou no município a portada da Matriz de Nossa Senhora da Conceição.